Literatura infantil: o que é importante na hora de escolhermos livros para as nossas crianças?

Literatura infantil: o que é importante na hora de escolhermos livros para as nossas crianças?

As crianças ocupam, em nossas vidas, um lugar de destaque. Vivemos e decidimos tudo em função do bem-estar delas. Mas a verdade é que nem sempre foi assim. Houve um tempo em que as crianças eram tratadas como adultos em miniatura, ou apenas criaturas que esperam para que chegue, um dia, a sua vez (tipo cresça e apareça). Quem tiver interesse em saber mais sobre isso, pode ler a obra do historiador Philippe Aries, entre outros que tratam do mesmo tema. O que nos interessa aqui, é a constatação de que, no que se refere à literatura, as coisas não eram diferentes. O que conhecemos hoje como literatura infantil é uma novidade, algo muito recente. No passado, as crianças aprendiam a ler nos livros dos adultos. 

Com a ascensão da burguesia, surgiu a necessidade de preparar as crianças burguesas para a nova realidade. Então, surgiram os primeiros livros escritos para crianças. No entanto, eram obras de cunho apenas pedagógico, cujo único objetivo era instruir e formar a criança. Obviamente, foi um longo caminho até que chegássemos ao ponto em que nos encontramos hoje, em que se produzem obras infantis pensando na criança como criança. Foram muitas as contribuições, desde La Fontaine, Charles Perrault, irmãos Grimm, Hans Cristian Andersen, até o nosso Monteiro Lobato, cuja obra, no Brasil, foi fundamental para a formação da nossa literatura infantil.

Hoje, felizmente, temos cada vez mais escolhas. Isso é, por um lado, excelente, por outro, nos confunde, pois ficamos, por vezes, sem saber o que escolher para os nossos pequenos. Penso que o mais importante na hora de fazermos as nossas escolhas, é decidirmos por obras libertadoras, que não pretendam doutrinar os nossos filhos, mas ensiná-los a pensar por si mesmos, que os encorajem a tornarem-se sujeitos ativos no mundo em que vivem.

Minha primeira sugestão é A operação do tio Onofre, de Tatiana Belinky. Gosto muito desse livro porque ele coloca a criança no centro da ação, como um sujeito ativo, pois é a nossa pequena protagonista que resolve a trama, de forma inteligente e muito eficiente (uma pequena heroína!). É o tipo do livro em que os pais terão prazer em ler junto com os filhos.


Literatura infantil: o que é importante na hora de escolhermos livros para as nossas crianças?

Gosto muito, também, de um livro chamado Menina bonita do laço de fita, de Ana Maria Machado. Estamos acostumados a histórias de princesas brancas como a neve, ou de cachos dourados, e por aí vai. Ou, por outro lado, textos que levantam a bandeira contra o racismo, o que é válido, mas nem sempre eficiente, haja vista a sociedade racista e preconceituosa em que vivemos. Ana Maria Machado segue uma lógica um pouco diferente. Ela coloca a pequena protagonista negra no mesmo lugar ocupado pelas princesas europeias, valorizando a beleza negra de forma natural, utilizando, para isso, metáforas belíssimas: os olhos eram duas azeitonas pretas, a pele uma pantera negra em dia de chuva. A menina, arrumada com esmero por sua mãe, parece uma princesa das terras da África, ou uma fada do Reino do Luar. Ao invés de bater de frente com os preconceituosos, a autora trabalha a autoestima das crianças negras, bem como apresenta uma imagem positiva delas para as demais crianças.


Literatura infantil: o que é importante na hora de escolhermos livros para as nossas crianças?

Há, ainda, não uma obra especificamente, mas uma coleção de livros infantis em braile da Editora Paulinas. Bem, creio que não há a necessidade de explicar a razão pela qual essa coleção é extremamente importante. 


Literatura infantil: o que é importante na hora de escolhermos livros para as nossas crianças?

Deixo abaixo, um vídeo do qual gosto muito, de uma conferência sobre literatura infantil, com Ana Maria Machado.



Literatura infantil: o que é importante na hora de escolhermos livros para as nossas crianças?