Minhas impressões sobre a 5ª Turnê Intrínseca

Na sexta-feira, dia 08/04, houve na minha cidade, Porto Alegre, o penúltimo encontro da  5ª Turnê Intrínseca. Apesar de já estar na 5ª edição, para mim foi uma grata novidade, pois nos anos anteriores eu não havia participado, por impedimentos de ordem profissional. Estava ansiosa pelo evento, e acabei chegando cedo demais, o que não foi problema, de modo algum, pois ficar esperando dentro de uma livraria está muito longe de ser algo desagradável. Seriam distribuídas 300 senhas, e devo dizer que não sei se havia 300 pessoas, mas tinha muita gente. E o que é melhor, muita gente feliz, com uma vibe excelente.

 
Nesta altura, muitos já haviam pego a senha e subido para o local
do evento e ainda estavam chegando mais participantes.

A equipe da Intrínseca, que estava no evento, é composta basicamente por jovens que demonstram grande entusiasmo ao falarem sobre os livros da editora. Todos sabemos que o entusiasmo é algo contagiante. Creio que o entusiasmo de leitores apaixonados é algo capaz de despertar o interesse sobre os livros naqueles que ainda não tiveram a felicidade de conhecer esse prazer. Então, imagine todos esses relatos entusiasmados sobre obras literárias para uma pessoa que ama ler. Imagine! 

O meu contato com a Editora Intrínseca é recente. Conhecia a editora, mas não havia lido seus livros ainda. Foi então que me deparei, na Feira do Livro de Porto Alegre, com a obra Uma breve história do tempo, de Stephen Hawking. Eu tinha esse livro, há alguns anos, quando ainda era publicado pela Rocco. Emprestei e, sabem como é, nunca mais voltou. Sem titubear, comprei o livro e o reli. Foi uma experiência ótima, pois o livro,  atualizado, está ainda melhor do que já era. Desde então, comecei a prestar mais atenção nos livros da editora, afinal, quem publica um livro dessa grandeza, deve ter muitas outras maravilhas publicadas. Comprei, na mesma feira, os dois primeiros volumes da série do Percy Jackson para o meu sobrinho, ele devorou e já está me cobrando a sequência. Como já venho com o interesse bem voltado para a editora, fui ao evento ávida por novidades. Sabem o que encontrei? O Paraíso!

Brindes que foram sorteados no final do evento. O meu está entre eles!

Posso dizer que, de todas as obras apresentadas no evento, e não foram poucas, somente uma não me chamou muito a atenção, mas ainda assim, arriscaria a leitura. Agora pensem comigo: uma apresentação entusiasmada + obras maravilhosas =   Sim, estou apaixonada pela Editora Intrínseca! Claro que eu gostaria de ir à livraria, agora mesmo, e comprar todos os livros apresentados, mas a realidade me chama. Então, selecionei alguns livros que serão os primeiros a serem adquiridos. Mas a minha alegria não se resumiu somente à participação em um evento maravilhoso. Eu fui sorteada! \o/ \o/ \o/ E adivinhem! Ganhei outro livro do Stephen Hawking, O Universo Numa Casca de Noz. (bendito número 57!).

Meu brinde no sorteio: o livro O Universo Numa Casca de Noz, de Stephen Hawking; uma caneca
do livro, um marcador de papel e marcadores imantados.

Obviamente, dá para imaginar como fiquei feliz, né? Afinal, foi justamente um livro do Hawking que me aproximou da editora. Então decidi que farei a resenha do livro que já li e lerei este que ganhei para resenhá-lo também. Em breve, aguardem! Ao final, foram distribuídos brindes para todos os participantes. Então, mesmo quem não ganhou nada nos sorteios, teve o seu agrado, gentileza da editora.
Brindes oferecidos a todos os participantes do evento. Tem uma caneta também, que acabou ficando de fora da foto.

Além do livro que ganhei no sorteio, acabei comprando outro, o Cidade dos Etéreos, de Ransom Riggs. Que edição incrível! É simplesmente lindíssima! Abaixo deixarei as sinopses de alguns livros, todas retiradas do site da editora. Os livros são, o que ganhei no sorteio, o que comprei e os dois primeiros que pretendo comprar da minha já imensa lista de livros da Intrínseca. Espero que gostem, caros leitores! 


O Universo Numa Casca de Noz, Stephen Hawking: Após o enorme sucesso de Uma breve história do tempo, a Intrínseca traz a luxuosa reedição de O universo numa casca de noz, na qual Stephen Hawking se vale de ilustrações, fotos e esquemas detalhados para mostrar grandes descobertas no campo da física teórica. Tudo isso, é claro, com sua conhecida clareza, elucidando temas complexos por meio de conceitos e ideias do dia a dia, como inflação, cartas de baralho e linhas ferroviárias, e permeado com seu peculiar senso de humor. Com astronautas engolidos por buracos negros, viajantes do tempo, debates sobre a origem do universo (e de todos nós), seu possível fim e a existência de vida em outras galáxias, além de curiosos questionamentos sobre o futuro biológico e tecnológico da humanidade em si, O universo numa casca de noz é leitura obrigatória para aqueles que querem se aventurar no que há de mais instigante hoje na física e para os que almejam ver como muitas vezes a teoria pode ser muito mais extraordinária do que a ficção científica.

Cidade dos Etéreos, de Ransom Riggs: Cidade dos etéreos dá sequência ao celebrado O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, em que o jovem Jacob Portman, para descobrir a verdade sobre a morte do avô, segue pistas que o levam a um antigo lar para crianças em uma ilha galesa. O orfanato abriga crianças com dons sobrenaturais, protegidas graças à poderosa magia da diretora, a srta. Peregrine.
Neste segundo livro, o grupo de peculiares precisa deter um exército de monstros terríveis, e a srta. Peregrine, única pessoa que pode ajudá-los, está presa no corpo de uma ave. Jacob e seus novos amigos partem rumo a Londres, cidade onde os peculiares se concentram. Eles têm a esperança de, lá, encontrar uma cura para a amada srta. Peregrine, mas, na cidade devastada pela guerra, surpresas ameaçadoras estão à espreita em cada esquina. E, além de levar as crianças a um lugar seguro, Jacob terá que tomar uma decisão importante quanto a seu amor por Emma, uma das peculiares.
Telecinesia e viagens no tempo, ciganos e atrações de circo, malignos seres invisíveis e um desfile de animais inusitados, além de uma inédita coleção de fotografias de época - tudo isso se combina para fazer de Cidade dos etéreos uma história de fantasia comovente, uma experiência de leitura única e impactante.

Eu sou o peregrino, de Terry Hayes: Uma mulher é brutalmente assassinada em um hotel decadente de Manhattan, seus traços dissolvidos em ácido. Um pai é decapitado em praça pública sob o sol escaldante da Arábia Saudita. Na Síria, um especialista em biotecnologia tem os olhos arrancados ainda vivo. Restos humanos ardem em brasas na cordilheira Hindu Kush, no Afeganistão. Uma conspiração perfeita, arquitetada para cometer um crime terrível contra a humanidade, e apenas uma pessoa é capaz de descobrir o ponto exato em que todas essas histórias se cruzam.
Peregrino é o codinome de um homem que não existe. Alguém com tantas identidades que mal consegue lembrar seu verdadeiro nome. Adotado ainda jovem por uma família rica, ele se tornou um importante profissional da espionagem.
Romance de estreia do renomado roteirista britânico Terry Hayes, Eu sou o Peregrino é uma narrativa ágil, com ritmo alucinante, cujos personagens são construídos de forma primorosa em toda sua complexidade psicológica. Uma jornada épica e imprevisível contra um inimigo implacável.

S., de J.J. Abrams e Doug Dorst: Um livro. Dois leitores. Uma jovem encontra numa biblioteca um livro com anotações de um estranho. As margens repletas de observações revelam um leitor inebriado pela história e pelo misterioso autor da obra. Ela responde os comentários e devolve o livro, que o estranho volta a pegar. Ele é Eric, ela é Jennifer, e o inesperado diálogo dos dois os faz mergulhar no desconhecido. É esse velho exemplar típico de biblioteca - consultado, anotado, manuseado - intitulado O Navio de Teseu, de V. M. Straka, que o leitor encontrará dentro da caixa preta e selada de S.
S. está longe de ser um livro convencional. A obra conecta ao menos quatro histórias, que se desdobram ao mesmo tempo, embora não necessariamente em ordem cronológica. É um livro-jogo, que oferece várias possibilidades de leitura e instiga o leitor a decifrar os mistérios, códigos e pistas contidos em toda a obra. Seja nas notas, nas margens ou nos outros itens da caixa, há sempre algo além do que se vê aguardando para ser descoberto.