O livro de Moriarty, de Arthur Conan Doyle - Editora Companhia das Letras

O livro de Moriarty, de Arthur Conan Doyle - Editora Companhia das Letras
O livro de Moriarty
Editora Companhia das Letras - Penguin
Ano: 2017
Número de páginas: 416
Cortesia da editora

As lembranças de nossa infância estão, seguramente, entre as melhores que temos. E embora não tenha lido todas as obras de Sir Arthur Conan Doyle, O livro de Moriarty, publicado pela Editora Companhia das Letras - Penguin, trouxe-me uma suave brisa desses bons tempos. Explico: cresci ouvindo meu pai falar sobre suas tão agradáveis leituras sobre as peripécias do grande detetive Sherlock Holmes, o que me levou a realizar a leitura de alguns de seus livros, dos quais gostei muito, ainda na pré-adolescência. Agora, após relembrar um pouco daqueles bons momentos, pergunto-me: por quê não li TODAS essas histórias incríveis antes?

Para os amantes da literatura policial, Sherlocck Holmes é uma referência. Inspirou inúmeros livros do gênero, além de filmes. Sempre ao lado de seu caro amigo Watson, Holmes enfrenta, com seu cérebro genial, os piores criminosos de Londres. O pior de todos é o professor de matemática James Moriarty. O problema é que este não é o tipo de bandido que põe a mão na massa, ele apenas fica responsável pelo planejamento, pela parte intelectual do crime. Por ser um criminoso genial, Moriarty chama a atenção de Sherlock que, em certa medida, admira a sua inteligência.

O livro constitui-se de seis contos e um romance em que James Moriarty aparece direta ou indiretamente. O primeiro conto, intitulado O problema final, é o único em que há o confronto entre Sherlock Holmes e Moriarty, nos demais ele sempre tem algum tipo de envolvimento, é mencionado de alguma forma. Holmes, com sua imensa perspicácia, sabe que Moriarty está por trás da maioria dos crimes que ocorrem em Londres, porém, quando leva tal conhecimento à polícia, todos pensam tratar-se de fantasia do detetive.

Watson é o narrador oficial das histórias de Sherlock Holmes, portanto, temos sempre o seu ponto de vista, exceto no conto Sua última mesura, em que há uma primeira parte cujo narrador, em terceira pessoa, não pode ser identificado. Com uma narrativa ágil e inteligente, O livro de Moriarty é daquelas obras que nos pegam de jeito. É uma excelente pedida, tanto para os apreciadores de Sherlock Holmes, quanto para aqueles que ainda não tiveram nenhum contato com o detetive da rua Baker Street.

O livro de Moriarty, de Arthur Conan Doyle - Editora Companhia das Letras

Para comprar: Saraiva | Cultura