Cujo, de Stephen King - Editora Suma de Letras

Cujo, de Stephen King - Editora Suma de Letras
Cujo
Autor: Stephen King
Editora Suma de Letras
Ano: 2016
Número de páginas: 373
Cortesia da editora

Um dócil cão são-bernardo e um perigoso serial killer já morto. Que ligação pode haver entre ambos? A trama de Cujo, de Stephen King, Editora Suma de Letras, desenrola-se na pequena cidade de Castle Rock, no estado norte-americano do Meine. Essa pequena cidade é marcada por uma história de horror que teria ocorrido anos antes do início da narrativa, quando um serial killer, que assassinara mulheres e crianças, suicidou-se após ser descoberto.

Depois desse terrível desfecho a cidade volta a viver em paz. Pena que não será por muito tempo! Ted Trenton, um menino de quatro anos tem um monstro vivendo em seu closet. Um monstro terrível, de olhos vermelhos, que o observa todas as noites. Até aí tudo bem, afinal, imaginação fértil é uma características de crianças nessa idade. O problema é que o monstro que aterroriza as noites de Ted é ninguém menos do que o espírito de Frank Dodd, o serial killer acima mencionado, que está à espreita de uma oportunidade para fazer novas vítimas. No entanto, para Donna e Vic, os pais de Ted, o monstro é apenas um ursinho em cima de uma pilha de cobertores. 


Cujo, de Stephen King - Editora Suma de Letras
Na mesma região vive a família de Joe Camber e seu adorável cão são-bernardo, que atende pelo nome de Cujo. Joe conserta carros, mantendo sua oficina junto à própria residência. Seu relacionamento com a mulher e o filho possui um caráter bastante opressor. Após ser mordido por um morcego e contrair raiva, cujo passa a ser dominado pelo espírito de Dodd. Quando Donna, acompanhada do filho Ted, resolve levar o carro para Joe consertar, terá uma surpresa ao encontrar o antes tão doce Cujo.

Creio que já não é surpresa para ninguém a admiração que tenho pela obra de King. E devo dizer que esse livro não perde em nada para os outros que já li do autor. Stephen King possui um grande domínio da linguagem, utilizando-a, de forma primorosa, a fim de envolver os leitores e de causar os efeitos desejados. Após iniciarmos a leitura, fica simplesmente impossível de largar. Pelo fato de a narrativa apresentar duas possibilidades interpretativas (ou o fantasma do serial killer apoderou-se do cão para fazer mais vítimas, ou todos os acontecimentos não passam de uma grande coincidência e o único problema de cujo é a raiva), a história torna-se muito mais intrigante e envolvente, e nos faz pensar sobre o desenrolar da narrativa mesmo depois de concluída a leitura. Se recomendo a obra? Recomendo mil vezes!


Cujo, de Stephen King - Editora Suma de Letras

Para comprar: Saraiva | Cultura